segunda-feira, 17 de abril de 2017

O ARRANJO DO" MARTELO" - PUBLICADO PELO (IM)PARCIAL EM 24 DE FEVEREIRO DE 2011)


       

                                      


Um filho de um amigo, acabado o 12º.ano, foi estudar para uma faculdade da Universidade de Coimbra.
O meu amigo, todos os meses despendia uma avultada mensalidade para as despesas do filho.
Na relação que o filho lhe enviava, além das despesas com os estudos, alimentação e alojamento, também havia outra - chamada "martelada"- de 100 euros.
Nos três primeiros meses, o pai ainda enviou as importãncias para pagar as despesas mencionadas.
Entretanto, desconhecendo o que era na realidade a despesa com "martelada", um mês não lhe enviou os 100 euros.
No mês seguinte, quando o filho lhe enviou a relação das despesas, não vinham mencionados os 100 euros da martelada, mas sim, 500 euros para arranjo do martelo.
A partir desse mês, o meu amigo nunca mais questionou tal assunto, enviando-lhe sempre os 100 euros da "martelada".

MORAL DA HISTÓRIA: Pagar e não questionar, senão sai mais caro.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial